Governo pede projeto para nova rodovia ao Porto de Santos

O Sistema Anchieta-Imigrantes (SAI) irá permitir a entrada e saída de mais cargas embarcadas e desembarcadas pelos Terminais Santistas.


Na última sexta-feira (15) foi anunciada a elaboração do projeto-executivo de uma nova ligação rodoviária entre a Grande São Paulo e a região do Porto de Santos. A via fará parte do Sistema Anchieta-Imigrantes (SAI) e ampliará a capacidade de movimentação de veículos do complexo rodoviário, ajudando no escoamento de cargas de um dos principais portos do país.

Segundo a Autoridade Portuária de Santos (APS), o aumento na movimentação de cargas do complexo deve levar o SAI, seu principal acesso rodoviário, ao limite de sua capacidade até o final da década, mostrando assim a necessidade da ampliação da malha rodoviária para atender o volume de tráfego de caminhões para o transporte de cargas.

Além da pista adicional, o Governo Federal pretende incluir um novo viaduto para a região da Alemoa (área industrial e portuária da cidade de Santos) e obras da avenida perimetral do Cais Santista, que vão elevar o nível de serviço do porto, além de aumentar a capacidade de movimentação de carga. O projeto levará 18 meses para o seu desenvolvimento.

Além desse projeto, a região portuária santista tem previsto a execução da obra do novo túnel Santos-Guarujá, que será construído de forma conjunta entre os governos federal e estadual, inserido no Novo Programa de Aceleração ao Crescimento (Novo PAC). No total, serão investidos cerca de R$ 5,9 bilhões para conclusão da maior obra da cartela de projetos do PAC referente ao modal de transporte.

Redação

A revista digital Porto Nosso é movida por quem vive o mundo fascinante da Logística e Comércio Exterior, com o propósito de trazer informações e análises detalhadas para profissionais e empresas.

1 comentário

  1. ro disse:

    Primeiro: verdadeiro festival de Blá, blá, blás
    Segundo: as intenções ficam para trás e nada acontece
    Terceiro: onde haveria um túnel o mato cresceu
    Quarto: onde haveria mais uma estrada. o vento levou…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *