Porto de São Francisco adere ao Pacto Global da ONU

Iniciativa estimula companhias a adotar práticas que promovam o crescimento sustentável e a cidadania.


O Porto de São Francisco do Sul se tornou signatário do Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU), iniciativa que estimula companhias a adotar práticas que promovam o crescimento sustentável e a cidadania. O programa está baseado em dez princípios universais, derivados da Declaração Universal de Direitos Humanos, da Declaração da Organização Internacional do Trabalho, da Declaração do Rio sobre Meio Ambiente e da Convenção da ONU Contra a Corrupção.

As organizações que passam a fazer parte do Pacto Global se comprometem a seguir esses princípios no cotidiano de suas operações. Entre os compromissos que o Porto assumiu, estão o respeito aos direitos humanos, abolição do trabalho infantil e eliminação da discriminação no emprego. Também deve promover a responsabilidade ambiental e incentivar o desenvolvimento de tecnologias ambientalmente amigáveis, além de combater todas as formas de corrupção. A partir de agora, o Porto deve reportar anualmente à ONU seu progresso em relação a esses objetivos.

Com a iniciativa, o Porto passa a integrar uma lista de cerca de 60 portos no mundo que adotaram o mecanismo de incentivo às práticas de sustentabilidade e cidadania, além de fazer parte de um seleto grupo de portos brasileiros que aderiram ao Pacto.

O Pacto Global é hoje a maior iniciativa de sustentabilidade corporativa do mundo, com mais de 16 mil membros, entre empresas e organizações, distribuídos em 160 países.
Para o diretor de Operações e Logística do Porto, Pablo Fonseca, a adesão ao Pacto Global da ONU representa um avanço na modernização da gestão portuária, alinhando-se às melhores práticas globais, em mais um passo em seu compromisso de gerar negócios que impulsionem a economia sustentável.

“Estamos assumindo o compromissão com a implementação das nossas ações em consonância com as tendências mundiais, como o respeito ao ecossistema em que atuamos e a promoção dos direitos humanos entre os colaboradores”.

Para Fonseca, um exemplo concreto desse compromisso é a futura obra de dragagem do canal de acesso ao complexo portuário, que será conduzida com prioridade ao respeito pela vida marinha da Baía da Babitonga.

Fonte: Assessoria de Comunicação

Redação

A revista digital Porto Nosso é movida por quem vive o mundo fascinante da Logística e Comércio Exterior, com o propósito de trazer informações e análises detalhadas para profissionais e empresas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *